Câmara Interamericana do setor aprova documento contra roubos de carga no RJ

  • Câmara Interamericana do setor aprova documento contra roubos de carga no RJ

    Documento será disponibilizado para os países da Organização dos Estados Americanos.

    A Câmara Interamericana de Transportes (CIT) aprovou na última quarta-feira, 24, uma moção de repúdio apresentada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) em razão da insegurança sofrida pelos trabalhadores do setor de transporte de carga e pessoas no Rio de Janeiro. Aprovada pelos 18 países que integram o órgão, o documento será destinado a Organização dos Estados Americanos (OEA).
    O material entregue pelo presidente da CNT, Clésio Andrade, aponta que, no período de 2011 a 2016, os roubos de cargas no Brasil aumentaram 86%, causando um prejuízo de mais de R$ 6,1 bilhões ao país, especialmente às empresas transportadoras e aos transportadores autônomos. “Foram quase 98 mil ocorrências, o que representa um roubo a caminhão a cada 23 minutos”, explica Andrade.
    O presidente da entidade explica que o maior problema é o aumento da violência no estado, uma vez que o roubo de cargas vem sendo utilizado para financiar o tráfico de drogas e de armas. Além disso, ele explica que “o crime tem efeito na economia, com a transferência de custos extras para a sociedade”.
    Ao aprovar a moção de repúdio apresentada pela CNT, a Assembleia Geral da CIT, que está sendo realizada na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, reconheceu a gravidade do tema e decidiu levá-lo ao conhecimento de todos os países integrantes da OEA, considerando que, se não for solucionado, o problema de roubo de cargas repercutirá em outros países, como já é observado na Guatemala.
    O presidente da Associação Brasileira dos Fabricantes de Tubos de Concreto (ABTC), Pedro Lopes explica que a apresentação do documento é muito importante. “Nós entendemos que apenas com ações integradas dos órgãos responsáveis em todos os estados do Brasil é que teremos uma atuação efetiva no combate ao roubo de cargas”, salientou.
    Fonte: Frota&Cia