Movimentação de cargas nos portos cresce 3,9% de janeiro a julho, mostra Painel CNT do Transporte

  • Movimentação de cargas nos portos cresce 3,9% de janeiro a julho, mostra Painel CNT do Transporte

    Dados atualizados da ferramenta de consultas dinâmicas disponibilizada pela CNT aponta que movimentação de cargas alcançou 638,6 milhões de toneladas.

    De janeiro a julho deste ano, os portos brasileiros movimentaram 638,6 milhões de toneladas de produtos. O resultado acumulado dos sete meses é 3,9% maior que o mesmo período de 2019, quando a movimentação alcançou 614,7 milhões de toneladas. Os dados atualizados até o mês de julho estão disponíveis no Painel CNT do Transporte – Aquaviário, ferramenta de consulta interativa com indicadores do setor.

    Somente no mês de julho, 99,8 milhões de toneladas de cargas passaram pelos portos brasileiros – número 0,3% maior que o de julho do ano passado. Nos sete meses, a navegação de longo curso respondeu por 69,8% da movimentação total de produtos nos terminais; a cabotagem, por 23,2%.

    A análise dos dados mostra ainda que, em 2020, o setor registrou resultados negativos somente no mês de janeiro (queda de 15,2% em relação a dezembro de 2019). Em março e abril, os resultados foram os melhores do ano até o momento, com altas de 11,5% e 20,3%, respectivamente, comparados aos mesmos meses de 2019.

    Quanto ao tipo de instalação, os terminais privados movimentaram 65,3% do total, com 417,3 milhões de toneladas. Nos portos públicos, o volume movimentado foi de 221,4 milhões de toneladas. O Terminal Marítimo de Ponta da Madeira (MA) lidera a movimentação de cargas no ano de 2020, com um total de 98,5 milhões de toneladas, o que representa 15,4% do total de carga movimentada no período de janeiro a julho de 2020. Em segundo lugar, está o Porto de Santos (SP) com uma movimentação de 65,9 milhões de toneladas (10,3% do total).

    Considerando o perfil de carga, os granéis sólidos (minérios, frutos, oleaginosas, fertilizantes etc.) lideram em volume movimentado, com 386,5 milhões de toneladas; em seguida, estão granéis líquidos e gasosos (combustíveis, óleos etc.), com 157,1 milhões de toneladas; as cargas conteinerizadas somaram 64,8 milhões de toneladas; e carga geral contabilizou 30,2 milhões de toneladas.

    (Fonte: NTC Logística)