Diversas empresas associadas procuraram o Sindisan (Sindicato do Litoral) nos últimos meses relatando o fato de terem passado a receber multas de radar na Avenida Perimetral e Avenida Augusto Barata, ambas no Porto de Santos. O fato chamou a atenção dos empresários, já que as multas não eram comuns e começaram a chegar em grande quantidade. Para esclarecer o assunto, o presidente do Sindisan, André Luís Neiva, o associado Ronaldo Varella e a gerente, Patrícia Santos, estiveram reunidos com o presidente da Companhia de Engenharia de Tráfego de Santos (CET), Rogério Vilani. Conforme explicou Vilani, os equipamentos estão com o laudo de aferição em dia. “Mesmo assim, sabemos que estamos sujeitos a ter problemas como vandalismo, acidentes, raio e falhas intermitentes. Fizemos uma investigação para os pontos citados e não foram encontrados danos”. O presidente do Sindisan reforçou que estes registros não aconteciam com tanta frequência. “O período relatado pelas transportadoras vai de outubro a abril. Outro fato que estranhamos foi a velocidade apontada nas multas. Caminhões fazendo uma curva, carregados, a 89 km/hora. Não acreditamos que seja possível”, afirmou Neiva. Para avaliar o assunto com mais detalhes, a CET se dispôs a analisar caso a caso e dar um retorno ao Sindisan. O sindicato vai reunir multas e outros documentos que possam auxiliar a esclarecer a situação e levará ao órgão de trânsito”. (Fonte: Fetcesp)