Resultado de imagem para Seguro desemprego: Saiba quem pode solicitar o benefício com alterações nas regras deste ano Entenda como funciona o seguro desemprego O seguro desemprego é um benefício concedido pelo Ministério do Trabalho e Emprego que visa garantir assistência financeira temporária ao trabalhador que teve seu contrato rescindido sem justa causa. O valor do benefício é calculado com base nos últimos salários do trabalhador. Para entender melhor sobre a quantia a receber, veja a tabela abaixo:
Média de salário de até R$1.531,02 80% dos três últimos salários
Média de salário entre R$1.531,03 e R$2.551,96  50% do que exceder R$1.531,03, mais R$1.224,82
Média de salário acima de R$2.551,96 R$1.735,29
  Os pagamentos são realizados em Lotéricas, correspondentes da “Caixa Aqui”, autoatendimento da Caixa Federal ou em Agências da Caixa. Descubra as regras e quem tem direito ao seguro desemprego Primeira solicitação: O trabalhador deverá ter exercido atividade remunerada no mínimo no período de 12 meses; Segunda solicitação: deverá ter exercido atividade remunerada no mínimo por 9 meses; Terceira solicitação: precisará ter trabalhado por 6 meses. Prazos para retirada do benefício O seguro tem prazos para realizar a retirada do seguro desemprego. Veja quais são de acordo com o tipo de categoria: Trabalhador formal – do 7º ao 120º dia, contados da data de dispensa; Empregado doméstico – do 7º ao 90º dia, contados da data de dispensa; Pescador artesanal – durante o defeso, em até 120 dias do início da proibição; Trabalhador resgatado – até o 90º dia, a contar da data do resgate. Documentos necessários para requerer o seguro desemprego – Documento de identificação; – CTPS – Carteira de Trabalho e Previdência Social, independente do modelo; – Documento de Identificação de Inscrição no PIS/PASEP; – Requerimento de Seguro Desemprego / Comunicação de Dispensa impresso pelo Empregador Web no Portal Mais Emprego; – TRCT (Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho); – Documentos de levantamento dos depósitos no FGTS ou extrato comprobatório dos depósitos; – CPF (Cadastro de Pessoa Física). (Fonte: Portal Contábeis)